Da série “como proceder?” – A irmã mais nova da minha amiga casou e teve filho”

Uma das coisas mais eficientes para indicar que sim, você está envelhecendo, é o Fator Caçula. Explico. Lembra quando você tinha 15 anos, amava Guns ‘n’ Roses, usava vestido florido com nauru da Redley e já começava a nutrir sentimentos pelos jovens ogros da sala de aula?

Você certamente gastava boa parte das suas tardes de estudo desabafando sobre essa paixão recolhida por aquele rapazinho imberbe que sequer olhava na sua cara – ou, pior, que dizia precisar conversar com você, enchia sua vida de esperanças para, no fim das contas,  colocar seu pobre coraçãozinho em um espeto como aquele pedaço de cupim que ninguém quer comer na churrascaria dizendo que sim, amava a garota da outra turma. Pois bem. Numa dessas tardes, em que você se divertia rabiscando o nome do gajo no caderno, fazendo brigadeiro e vendo My So-Called Life na TV na casa da amiga, havia mais alguém. E era a Irmã Mais Nova.

A Irmã Mais Nova da Melhor Amiga era quase uma entidade. Melhor: um Gremlin. Se você tratasse bem a criança, ela grudaria no seu pé pior que chiclete. Se você tratasse mal, bem, pegaria mal. Mas a Irmã Mais Nova da Melhor Amiga era um bom termômetro para a mudança de hábitos de cada geração – e  para a sua angústia pessoal.

A Irmã Mais Nova Da Melhor Amiga começa a herdar as roupas da sua amiga. Depois, passa a receber os mesmos telefonemas secretos que vocês recebiam. Algum tempo depois, passa a desprezar vocês, mais velhas e antiquadas. Anos e anos e anos e anos depois, quando sua amiga e você mal se veem, ou já estão formadas, ou estão cuidando da vida – seja trabalhando, seja cuidando da casa, seja tentando arrumar um marido (acontece, gente, há quem chegue aos 30 e comece a ter esse tipo de afliceta desespero) – você pensa:

– Por onde andará a Irmã Mais Nova da Melhor Amiga?

Opções:

a) Com 20 e alguns anos, ela está casada, virou dona de casa e é mãe de um casal de gêmeos que parecem ter sido gerados e nascidos em um comercial de margarina mashupzado com um anúncio de fraldas para bebês. 

b) Ela está fazendo o que nem você e sua amiga fizeram: mudou, foi morar fora, está estudando, virou hippie/hipster/maluca mesmo.

c) Ela fez a faculdade certa e hoje ganha mais dinheiro que você e sua amiga juntas. Virou executiva e esfrega na cara da humanidade sua riqueza.

d) A dita cuja fez tudo isso que está listado acima em menos tempo que você e sua amiga, a irmã mais velha.

Você pode até invejar a vida mais fácil que ela teve depois que você e sua amiga desbravaram fronteiras – tipo a da meia-noite como horário-limite para voltar de festas. Sim, a juventude dela foi um pouco mais fácil. Mas angustia ver que o último bastião da infância, aquela criaturinha chata e intrometida – ou aquela fofurinha que sentava no seu colo, ou te abraçava e dizia que o seu cabelo era lindo – hoje não é mais uma criança e tem uma vida tão ou muito mais ativa que a sua.

E, claro: ver que você envelheceu. E nem se deu conta até ver as fotos dos filhos da Irmã Mais Nova da Melhor Amiga.

PS: Ironia das ironias, minha melhor amiga há alguns anos já foi uma Irmã Mais Nova do Melhor Amigo. Com isso avanço mais cinco casas no tabuleiro do Jogo da Vida

2 thoughts on “Da série “como proceder?” – A irmã mais nova da minha amiga casou e teve filho”

    • Hahahaha, então já são duas amigas que eram as irmãs mais novas da amiga, tô velha mesmo :D

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *